Segue, segue a saga. Tempestade de palavras sábias.
Resultando rimas raras, ondas captatas, navegando águas poluídas de ponte ou de barca.
Nada separa o rio da praia de guanabara.
Faço cheque, sem stress.
Ninguém se meche.
Tranquilo á vontade depois que aperta o rec.
Que a família na sua mente ocasionando a combustão.
Na pressão a rima causa efeito após a audição.
Diz, fala sem saber
Diz, que eu vou perder.
Muita calma nessa hora ou vai se arrepender.
Fala mal, de quem?
É melhor e tem vibrações negativas que não fazem bem.
Vai e vem.
E a lógica é a característica dos fracos.
Só é eterno aprendiz no mundo não governado.
Se prepare para o golpe.
Sua cara não tem pára-choque.
Batida violenta, quem não aguenta vai ao nocalte.
Memórias de um cara sendo preso nesse mundo insano.
Expostas nessa rima tipo Braciliano Ramos.
Pra onde vamos?
No barco, remar nem tantos.
O mar é que nos leva, estamos quase afundando.
Se prepare, não compare, repare em cada parte.
Saber chegar ou não que carrega a humildade.
Disparo minhas palavras, expresso minhas verdades.
Provando habilidade aprimorada na minha arte.
Beat, versos, versos, beat.

Relatoatividade de um cenário sem limites. (2x)

Vídeo incorreto?