Sinto assim,

diariamente violentada

pelas palavras amargas,

de acusações desalmadas,

pela frieza e o silêncio.

Sinto assim...

Vidro trincado.

em minha pele

corrompida

Sendo em mim,

Um mosaico de mágoas,

Sendo sempre incessantemente revivido.

Olho para você,

Com pálpebras insistentes,

a seduzir suas doces lembranças,

a abaixar o seu punhal reluzente,

e em vão a descamar a sua pele

embrutecida e espinhosa.

Rápido!

Dispa-se!

Tão veloz quanto o passar dos segundos em vão,

Você algoz , mosaico turvando minha visão,

E respingos do sangue na pele repartida pelo chão.