Podem falar o que quiser
Não, de nada vai adiantar
A arte de criar já é uma tradição
E o samba também mora no limão

Povo é povo e vale ouro
Para o bem dessa nação
Vale mais ter "um" no bolso
Do que "dois" fora da mão
(bis)

Surge a cada plano uma esperança ôô ôô ôô
Desde o tempo do império " a história se repete"
É sempre assim
É um sururú danado, vai ao banco é feriado
Na mudança do poder
E o povo vai tocando como pode
Quem não pode se sacode, deixa acontecer

A ciranda do dinheiro é fatal
Faz dançar a sociedade
E o tesouro nacional
(bis)

Ôô, alguémm passou " um conto" no passado"
Dizem que foi d. joão, lá se foi nosso tostão
Veio d. pedro, com ele nova instituições
O tempo passa, a história continua
Através das gerções
(bis)

Cruzeiros e cruzados
Tudo bem empacotado
E o povo resistiu
E hoje a mocidade faz cultura na cidade
Coisas do brasil

Vídeo incorreto?