Os clarins anunciando a festa
Em louvor de um gênio imortal
Desde os treze anos já mostrava
Que seria um mito nacional
Ele prosperou e se consagrou no carnaval

Cibele, Viva o Amor e Lola
São obras desse mestre criador
Tempo bom que não volta mais
Só deixou lembranças desses carnavais

Quem não se lembra da marcha Linda Morena
Ride Palhaço quando os cordões entravam em cena
Luzes coloridas, chuvas de confete e serpentina
A nossa bela escola vai passar
Com arlequins, pierrots, colombinas

Entrei na ginga, moringa pinga prá cá
Quem não tem ginga, moringa pinga prá lá
Entrei na hora e agora, vou me acabar
Lamartinando no hino Trá, Lá, Lá, Lá