Ê, favela!
Da batucada, do meu grande amor
Eu sou malandro e faço história
Na Zona do Mangue onde tudo começou
Nascia em forma de oração
Nas mesas do café, uma canção
Bambas que o berço do samba um dia embalou
Versos de Ismael, "se você jurar"
Te dou em poesia, "a dona do lugar"
Vai minha inspiração... Deixa Falar

Eu vou, "bem junto ao passo"
Bem no compasso da marcação
Eu sou do "velho Estácio"
E se morrer é de emoção

A "Cada Ano", "Vê Se Pode"
Meu "Paraíso" é mais feliz
Fez da arte negra romaria
Se vestiu de fantasia e criou sua raiz
Do terreiro grande, a doce voz
Que emociona a todos nós
"Teu menino desceu o São Carlos"
Brota "melodia" desse chão
"Eu vi, ai meu deus eu vi"
A minha escola levantar a multidão
E "quero a arte pro meu povo
Ser feliz de novo", meu leão

Estácio é o meu amor
E esse amor tem seu lugar
Um coração vermelho e branco
Que bate forte sem parar

Vídeo incorreto?