Ah, a cada história que essa brisa conta
Busquei no fundo dos meus sentimentos
Tesouros mergulhados na memória
Marejando em ondas, cruza a guanabara
Vem aportar em nosso chão
Comércio se instalou, o negro aqui chegou
Com fé venceu a escravidão
Desembarcou a família real
São novos ares, jardim tropical
E a semente do samba
Ressoa na pedra do sal

Firma a gira no batuque, babalorixá
Incorpora a negritude no terreiro de alabá

O vento a soprar
Entre becos e vielas, favela!
Meu povo mais perto do céu
Livre da chibata, orgulho da raça
Afirmando o seu papel

E bota-abaixo, vai levantar poeira
É de pereira, "passos" da criação
E bota-abaixo, já levantou poeira
"Bem no compasso" e na garra do meu leão

Cai a noite, a boemia namora o luar
Nos braços da vida, se entrega ao prazer
"É terna" Praça Mauá!

O vento soprou no mar
Trazendo esperança
Estácio de Sá!
Berço do samba em poesia
Que maravilha é um porto de alegria

Vídeo incorreto?