O homem do coração ferido


Dia após dia, os dias se vão
Deixando a vida ao abandono

No jardim do homem do coração ferido
A erva está queimada. Não há uma flor
Sobre a árvore morta, mais nada pode crescer
Nada além dos frutos de sua dor

As quatro paredes de sua casa
Só abrigam a ausência
Para onde partiram os companheiros
Com seus risos e suas canções?
Para onde partiram os companheiros
Com seus risos e suas canções?

Às vezes, lágrimas vêm dar de beber
À erva queimada da lembrança
Mas que sol poderá aquecer
Os dias que se foram ou que estão por vir?

As quatro paredes de sua casa
Só abrigam a ausência
Para onde partiram os companheiros
Com seus risos e suas canções?
Para onde partiram os companheiros
Com seus risos e suas canções?

Dia após dia, os dias se vão
Deixando a vida ao abandono