Ao mestre

Gíria Vermelha
Ao mestre com carinho essas palavras de presente
Pra você educador de nossas crianças carentes,
Sei que o tempo ta mais curto, sei que trampo é mais intenso.
8 horas, 12 horas por dia com você escola a dentro,
Não tem tempo para os filhos pros parceiros ou pra parceira
Nem pro livro que você escolheu pra ser de cabeceira.
A labuta quebra o corpo, cansa os olhos,
Sua casa de um doce ar virou dormitório,
Deita e dorme no sofá com televisão ligada,
Com o livro aberto sobre o peito, não leu quase nada,
Já num sono bem profundo. Você escuta:
Amor, vamos pra cama amor, já são duas da madruga,
Estressada, louco pela profissão que você ama,
Não é fácil, é comum você pisar em casca de banana,
Que você come com intuito de alimentar o corpo,
Mas você pisa, escorrega, cai e quebra algum osso.
Você vê na propaganda que te diz
Que você ganha um dos melhores salários do país.
Que tua escola tem computador, brinquedoteca,
Que você reclama de barriga cheia, minha mestra.
Não estressa, senta aqui, não se sinta inferior,
Não se sinta como a flor que alguém do jardim arrancou.
Não se sinta como a vela derretida até o limite.
Seja luz para os pés de quem caminha contra elite
Sei que tu não é aquela que ensina a burguesia
Tira foto, guarda a foto, tipo álbum de família,
Mas com as crianças da periferia nem um beijo,
Um abraço, uma palavra pra arrancar um sorriso meigo
Faz o jogo do governo com as criancinhas da plebe
Faz pirraça dos colegas que aderiram à greve
Não, sei que tu és diferente!
É pra você esse presente!

Ao mestre com carinho, ao mestre com carinho
Ao mestre com carinho, uma palavra de amor
Ao mestre com carinho, profissão, espinho e flor
Ao mestre com carinho, estes versos ofereço
O que tu faz não tem preço

Às vezes você tem que ter dom de mágico,
Ou a sapiência do velho mestre dos magos,
Falar num tom baixinho numa turma em chama,
Ou pedir licença para tratar da garganta.
Deve ser uma barra ter que trampar nos anexos,
Tem que controlar os excessos,
Mais de cinqüenta crianças por turma!
E você tem que dar atenção a cada uma,
Você tem que ser de ferro, polivalente em lócus
Você tem que ser o pai, a mãe, o psicólogo
Isso aqui não é escola! isso é um navio negreiro!
Isso aqui é um depósito de criancinha negras!
Cadê o promotor? O Ministério público?
O conselho tutelar também se faz de cego e mudo
Você lembra aquela greve, daquela cena:
De pms, cacetete, armas, sprays de pimenta,
Avançando sobre o grupo, te empurrando com escudos
O comandante um dia foi o teu grande aluno.
Decepção, frustação, dor
Dos teus olhos uma lágrima rolou.
Vi um coração de mulher partido ao meio.
Uma lança envenenada acertou teu peito em cheio.
Em meio a tudo isso, você pergunta o que fazer?
Essa pergunta Lenin fez para você.
Você tem que ter amor pela profissão tem,
Só que sem luta sonhos virão pó também.
Vem aceite com carinho e mais de quem trilha esses caminhos

Ao mestre com carinho, ao mestre com carinho
Ao mestre com carinho, uma palavra de amor
Ao mestre com carinho, profissão, espinho e flor
Ao mestre com carinho, estes versos ofereço
O que tu faz não tem preço

Nenhum o ouro dos sheiks recompensarás,
A tua via sacra, o que você faz,
Pelos filhos da classe trabalhadora,
E pelos filhos dos burgueses, que de ti só cobram deveres.
Eu sei que tua vida não é um mar de rosas
Você elege o presidente da república,
Mas não pode eleger o diretor da tua escola.
Ventilador quando tem, não presta,
mais tem suor escorrendo do teu rosto minha mestra
Provavelmente você degusta o gosto amargo do fel
Eu vejo em ti uma Camila vallejo,
Eu vejo em ti uma Amanda Gurgel.
O poder te jogou no banco dos réus
Da avaliação e desempenho da escola pública, caótica, sem estrutura,falida,quente
Quem te julga não vê, quem setencia não sente
Mas erga a cabeça e vá em frente tia!
O que eles fazem contigo é uma covardia
10% do PIB para educação pública eles dizem não pode
Num país que cobrança de impostos é um latrocínio praticado contra os pobres.
É quem comanda não tem dó!
E o salário ó!

Vídeo incorreto?