Fui criado no sertão onde reside a verdade
No meio dos animais da pequena propriedade
Nada faltava la em casa tinha de tudo a vontade
A família era feliz não conhecia a vaidade
Mudamos nossa rotina, trocamos a lamparina
Pela eletricidade

Com a chegada da energia foi grande minha emoção
Comprei logo a geladeira, vídeo e televisão
Despertador digital, micro system e fogão
Aposentei o meu galo, forno caipira e violão
Pelo progresso dopado, vão vi que eu tinha entrado
Numa rua contra mão

As imagens de conforto que mostravam na telinha
Achei que eram verdades, fizeram a cabeça minha
Mudei pra cidade grande antes vendi o que tinha
Tô levando na marmita ovo, feijão e farinha
A barriga está roncando eu sonho saboreando
Um guizado de galinha

Por causa da ignorância passei a viver assim
As flores da esperança morreram no meu jardim
O pesadelo me arrasa parece que não tem fim
Viver na cidade grande, isto não nasceu pra mim
É uma experiência sem graça, igual colocar vidraça
Numa casa de capim

Vídeo incorreto?