Para o infinito Deus não representa
A personalidade humanizada
Pelos seres terrenos inventada
Cheia às vezes de cólera violenta
Deus não castiga o ser, nem o isenta
Da dor que traz a alma lacerada
Nos pelourinhos negros de uma estrada
De provação, de angústia e de tormenta
Tudo fala de Deus nesse desterro
Da Terra - Orbe da lágrima e do erro
Que entre anseios e angústias conheci
Mas quanto o vão mortal inda se engana
Que em sua triste condição humana
Fez a essência de Deus igual
Igual... Igual... Igual a si

Vídeo incorreto?