Cheguei cedo no fandango e já tô me apreparando hoje eu vou me encambichar
Quero matar minha sede no ombro da zóio verde, até o sol apontar
Dois dias de cavalgada, no lombo da égua bragada pra chegar até aqui
Eu venho de outras paragens mas sou de índio de coragem e encanzinado por ti

(Vem! Vem! Vem! Vem! Vem! Vem pra cá
Que esta noite gauchinha foi feita pra nós bailar
Vem! Vem! Vem! Vem! Vem! Vem pra cá
Bâmo embora zóio verde, vim aqui pra te buscar)

Gaiteiro tome tenência e mostre tua competência no cabo de uma vaneira
Hoje eu me esqueço da lida me toque uma bem comprida pra eu bailar com esta trigueira
Credo que china mais linda, parece mais bela ainda sob a luz do lampião
Tô tal qual um burrinchó chinoquinha tenha dó e me dê seu coração

Sou um xirú de fundamento, me desculpe o tratamento mas tu és a flor do lugar
Me dê o prazer desta marca que hoje ninguém me ataca, vim aqui pra te buscar
Me dê a resposta guria, pois já tá clareando o dia e eu preciso me bandear
Zóinho verde eu só paro quando chegar em Santo Amaro, é lá que nóis vai morar

Vídeo incorreto?