O que era morto já se fez presente
O que doeu, se foi não mais se sente
E aquela cinza hoje é só paixão ardente
Tão quente, só não tiro da mente
Este meu medo transparente
E aquele longe, está tão perto derrepente
Quem dera eu tivesse
A certeza que tentar
Não fosse sufocar
Nem transbordar-me de esperança
Prá não mais me machucar

E mais um deslize da emoção
Falou mais alto que a razão
Atravessou-me com malícia e perfeição
Mas hei, de ser prá lua um novo par
Fazer do céu, meu novo lar
E das estrelas deste mundo a explorar

Mas deixa estar cicatrizando a seqüela
Vem surgindo a primavera
Se pondo colorido
Aquele céu nublado
Onde está sendo enxugado
Pelo lenço das paixões

Vídeo incorreto?