Eu sou chegado numa festa de peão
Mas eu tô sempre com meu cavaco na mão
Festa popular é coisa do povão
É minha cara eu não nego não
(2x)

O meu pagode tem um swing diferente que chegou tão repente conquistou todo povão
É a mistura de samba com viola que alucina e que apavora toda festa de peão

Tem a malandragem do samba brasileiro e a simplicidade do peão de boiadeiro
Tem a batida do tan-tan e do pandeiro com a pegada do velho Tião Carreiro
A malandragem do samba brasileiro, a simplicidade do peão de boiadeiro
Tem a batida do tan-tan e do pandeiro com a pegada do velho Tião Carreiro

É uma loucura essa mistura
Que mexe com o coração
Não dá pra ficar parado, não
Sem tirar os pés do chão
Deixe que o som te leve
E bata na palma da mão
Quero ver toda a galera
Cantando forte esse refrão

Eu sou chegado numa festa de peão
Mas eu tô sempre com meu cavaco na mão
Festa popular é coisa do povão
É minha cara eu não nego não
(2x)

Vídeo incorreto?