Faca que não corta

Viola que não presta, faca que não corta
Se eu perder pouco me importa

O cabo da minha enxada era um cabo bacana
Não era de Guatambu era de Cana Caiana
Um dia lá na roça me deu sede toda hora
Chupei o cabo da enxada e joguei a enxada fora

Enxada que não presta, faca que não corta
Se eu perder pouco me importa

A fazenda do meu sogro faz divisa com a minha
Presente de casamento ele me deu, pois eu não tinha
Com este casamento fiquei rico de repente
Casei com sua fazenda e trouxe a moça de presente

Casamento que não presta, Faca que não corta
Se eu perder pouco me importa

-------------------------------
Pagode em Brasilia

Quem tem mulher que namora
quem tem burro impacador

quem tem a roça no mato me chame
que jeito eu dou
eu tiro a roça do mato sua lavoura melhora
e o burro impacador eu corto ele de espora
e a mulher namoradeira eu passo o coro e mando embora

No Estado de Goiás meu pagode está mandando
No Bazar do Vardomiro em Brasília é o soberano
No repique da viola balancei o chão goiano
Vou fazer a retirada e despedir dos paulistano
Adeus que eu já vou me embora que Goiás tá me
chamando

-------------------------------
As Flores quando é de manhã cedo
o seu perfume no ar exala
a madeira quando está bem seca
deixando no sol bem quente estrala.

Vídeo incorreto?