Fui convidado pra cantar num baile
Numa cidadezinha do interior
Salão bem apertado
Palco improvizado
Que mal agüentava o peso do cantor
Foi naquele baile que eu conheci
Uma linda morena
Que era um perigo
Foi só cantar um xote
E oferecer à ela
Que subiu no palco pra cantar comigo
Caiu o palco
O palco caiu
Na hora em que a morena
No Palco subiu

Ela tem salário gordo
E muita mordomia
Toda simpatia pela sua
profissão
Como secretária, experiência
tem de sobra
É pau pra toda obra
Quebra galho do patrão.
Se ele tem um compromisso
E não pode comparecer
Lá vai a secretária
Com carinho resolver
A própria concorrência
Já lhe fez milhões de ofertas
Como secretária
O sucesso é coisa certa
Ela é boa de língua
Fala idiomas de montão
E nunca se importa de fazer cerão
A empresa em que trabalha
Vai de vento em popa
Com essa secretária
Faturar é sopa.
Ela tem salário gordo
E muita mordomia
Toda simpatia pela sua
profissão
Como secretária, experiência
tem de sobra
É pau pra toda obra
Quebra galho do patrão.

Alô moçada tô chegando aqui agora
Venho vindo lá de fora e não posso demorar
Eu sou mineiro sou caboclo impertinente
O meu pai era valente também gosto do azar
Eu sou filho de um tal de parada dura
Que só anda em noite escura, osso duro de roer
E agora minha gente abre ala
Vou fazer chuva de bala meia dúzia vai morrer
Aonde eu chego que só vejo união
Juro que não acho bom e minha orelha logo esquenta
Então eu ponho meu trinta pra estourar
E junto todos vão tomar uma pinguinha com pimenta
Se por acaso alguém recusa de beber
Meu sangue começa a ferver já dou início a brincadeira
Daí em diante não se vê ninguém em pé
Só vê homem e mulher misturado na poeira
Eu sou mineiro lá do Oeste de Minas
Nem o tempo me domina me chamo Quebra Topete
Um dia desses surrei trinta camaradas
Só na base da pernada, pontapé e telequete
Eu já fiz estrela trocar de lugar
Fiz a lua apagar e o sol virar balão
Fiz tudo isso mas fiquei embaraçado
Pois agora estou trancado nas grades de uma prisão.

Vídeo incorreto?