Todo dia ele acorda cedo
Sai pra trabalhar, trabalha o dia inteiro
Cumpre a sua jornada
Sem reclamar de nada
Por um salário mínimo

Ele não passa de mais um na multidão
Um brasileiro pobre que não tem nenhum tostão
Um brasileiro sem rumo
Um brasileiro sem estudo
Um brasileiro sem visão

Sempre a mesma merda
Sempre essa espera
A esperança de que as coisas vão mudar
A mesma palhaçada
A conversa fiada
Se Deus quiser, o que eu pedir ele me dá

Filhos da miséria
À espera de uma boa ação do seu superior
Filhos dessa espera
À espera de uma ajuda dos céus que nunca vai chegar

Milhões e milhões marcham sem parar
Sem entender a força que os faz andar
As relações de poder
Que os fazem temer
A culpa de não querer mudar

Quem deve temer quem? A quem o medo convém?
Inconscientes, vão vivendo quase bem
E são oprimidos, e são coagidos
Por qualquer vintém

Sempre a mesma merda
Sempre essa espera
A esperança de que as coisas vão mudar
A mesma palhaçada
A conversa fiada
E se Deus quiser, o que eu pedir ele me dá

Filhos da miséria
À espera de uma boa ação do seu superior
Filhos dessa espera
À espera de uma ajuda dos céus que nunca vai chegar

Agora é hora de acordar
Reagir, se levantar
Se insurgir, se rebelar
A injustiça não terá lugar

Onde você ocupar
Invadir é questionar
É impossível conquistar
Sem lutar!

Seja a força que você quer ver em seus iguais
Transformando a rebeldia em ações que trazem mais
Daquela força pra lutar
Pra lutar!

Vídeo incorreto?