Eu vou me infiltrar nos seus poros
Irritar os seus olhos
Penetrar no seu corpo
Infectar sua mente

Talvez o seu plano dê certo
Se der você será presidente
Talvez engulam sua história
Sempre engolem futuro monarca demente

Ei, burocrata vendido
Você não vale a merda em que nos obriga a viver
Estou farto de quem finge amar pra vender a mentira
A todos que neste inferno vão me encontrar
Me chamem de toxina

Essa é a igreja do assassinato cerebral industrializado
E o sangue que corre por você
Insiste em ferver em minhas veias
No meu cérebro
Em seus braços
Ele pulsa em nosso sexo
Você não precisa mais dizer o meu nome
Você não precisa mais tocar minha mão
Apenas me chame de toxina

E quando for mandar me exumar
Me chame de toxina

Vídeo incorreto?