O grito da palavra mórbida acorda
Cantando a dor
O mito gira em torno real da história
E espalha o torpor

E a cidade de tarde é tão linda
Tão clara e não finda
Antes mesmo daquele belo show
Do sol ao se pôr
E levarei comigo saudade quem sabe
Se cabe voltar novamente onde estou

E toda essa contextualidade na face
Transpassa a esperança que o tempo contou
Ao compor e cantou que tudo nessa vida real
È nos dado de graça vale a pena sofrer por amor

Vídeo incorreto?