Minha vida tem dois amores
Dois rebanhos e dois senhores
Dois destinos na minha mão.
Vivo sempre com o pé na estrada
Tomo conta de uma boiada
Sou vaqueiro de profissão.
Pros filhotes que eu tenho em casa
Nunca falta nas minhas asas um pouquinho de água e pão
Se eu demoro a saldade corta
Pois deixei atrás da porta a metade de um coração.

Iê, iê, iê, iê, iê, iá
Quando a saldade corta, morena
É que eu vou voltar(bis)

Já domei touro no braço
Dispensei chipão e laço
E o lombo de um alazão.
Quando eu vejo boi desgarrado
Sinto que todo gado
Escapasse da minha mão
Quero o fogo de uma fogueira
E a lua namoradeira
Clareando eu e você
O berrante é o meu recado
Vou correndo pro teu agrado
Que é pra gente se merecer.

REFRÃO
REPETIR PRIMEIRA PARTE

Vídeo incorreto?