Não presto
Tornei-me um cara um errado
Confeço
Óh vida leva á vida
Nas noites
To bebendo no buteco
Zuando com garotas pervertidas

Caubói de uisque e gelo
Passo as mãos pelos cabelos
Mais um dia sem te ver
Passei o mês encanado na cabeça só lembranças
Não consigo te esquecer

Hoje apareceu alguem
Aqui da mesma cidade
Querendo competir com você
Dei o uisque pra menina
E gelo foi minha verdade
Uma transa sem amor só prazer

Não vamos repetir
Por que eu já perdi a conta
Depois dela com tantas fiquei
A culpa é dela óh marvada to pinrando meu cabeção
Ela não liga pro meu coração

Não presto
Tornei-me um cara um errado
Confeço
Óh vida leva á vida
Nas noites
To bebendo no buteco
Zuando com garotas pervertidas

Vídeo incorreto?