Lá por me rir
Não estou contente
Rio p'ra não insistir
P'ra não dar um passo em frente
Mas isso é crónico
Isso não volta a trás
Deixa-me atónico
Deixa-me incapaz
E pelas minhas contas
Há muito menos prós que contras
E melhor deixares-me em paz

Vê se foges de mim
Já néo consigo correr
A rua ainda é comprida
Mas não deixo de te ver
Vai para um sítio qualquer
Enquanto estou de cabeça fria
Não te quero aí ao fundo
Deixa-me a rua vazia
Sai-me da frente do mundo
E antes que eu tropece:
Cresce e desaparece...

A maçã envenenada
Que me deste a provar
Foi a prova comprovada
Que não eras de fiar
Mas é crónico
Isso não volta a trás
Deixas-me atónico
Deixas-me incapaz
E pelas minha contas
O teu veneno teu os contras
Que não me deixam em paz
Vê se foges de mim...

Vídeo incorreto?