Eu canto essa saudade
Que me azucrina
E não me deixa sossegar

Na minha rua
Mora um sabiá sozinho
No coqueiro do vizinho
Toda tarde vem cantar
Canta a tristeza
De quem vive sem carinho
Me comparo com o bichinho
E dá vontade de chorar

Eu canto essa saudade
Que me azucrina
E não me deixa sossegar

E chega a noite
A lua vem tão prateada
Me ilumina na calçada
Com seu brilho zombador
Até parece perguntar se estou sozinho
Igualmente ao passarinho
Cantando sem ter amor

Eu canto essa saudade
Que me azucrina
E não me deixa sossegar

Vídeo incorreto?