VALEUU BOI (JUÁ DA BAHIA)

ÊÊÊÊÊ, ÊÊ, Ê BOI
ÊÊÊÊÊ, ÊÊ, BOIADA!

VALEUU BOIII, (VALEU BOI) RAIOU O DIA..
VOU CORRER GADO LA NAS TERRAS DA BAHIA
NÃO CHORE NÃO (NÃO, NÃO) EU VOLTO UM DIA,
VOU CORRER GADO LÁ NAS TERRAS DA BAHIA

To indo embora, vou voltar pra minha terra
Vou cantar meu pé serra lá pras bandas do sertão
Cidade grande não feita pra matuto
Desde a mocidade eu luto sofrendo desilusão

A seca que castiga lá, aqui tem também
Já vou arrumar meus “trem” e me arribá num caminhão
No peito levo uma saudade matadeira,
E uma toada boiadeira, pra guardar nossa paixão.


Os meus arreios, que deixei lá pendurados,
Quando eu lá prendia gado nas tardes de apartação
Estão bem cuidados, pr’eu voltar de novo à lida,
Na minha terra querida, berço da minha canção,

Vou correr gado, vou fazer meu pé de meia,
Na terceira lua cheia, volto com meu alazão,
Sela de prata, num belo gibão de couro,
Venho buscar o ouro, dentro do teu coração.


Ninguém segura um vaqueiro apaixonado
Por mulher, viola e gado, uma corrida de moirão,
Não perco a rima, quando a assunto é um bom repente...
Nas palavras, sou valente, poeta de profissão,

Da escola de Zé da viola e Laurentino
Eu canto desde menino, o sofrer deste meu chão,
Fazendo versos conquistei a minha amada
Numa noite enluarada, dei adeus a solidão.

Vídeo incorreto?