Se a cruz dos teus olhos
Fitava a espada que havia nos meus
Derramando palavras
Tolices sagradas de um anjo ateu
Eu caminhava colhendo delírios
E derrotas régias em seu quintal
Andando em seus trilhos
Comendo sucrilios com cara de mau

Se a luz de seus olhos
Vagava no escuro que havia nos meus
Derramando perguntas
Babando silêncios
Parindo um adeus (um adeus)
Eu nem ligava
Guardava os mistérios
E brinquedo velho em seu porão
Deixava meu mundo
E me escondia no fundo do seu coração

Eu nem ligava
Guardava os mistérios
E brinquedo velho em seu porão
Deixava o meu mundo
E me escondia no fundo do seu coração...

Se a cruz dos teus olhos
Fitava a espada que havia nos meus
Derramando palavras
Tolices sagradas de um anjo ateu
Eu caminhava colhendo delírios
E derrotas régias em seu quintal
Andando em seus trilhos
Comendo sucrilios com cara de mau

Eu nem ligava
Guardava os mistérios
E brinquedo velho em seu porão
Deixava meu mundo
E me escondia no fundo do seu coração

Se a cruz dos teus olhos
Fitava a espada q havias nos meus...

Vídeo incorreto?