Ondas agitadas em total desvario
Bates forte, segura, despencando violenta
Contra o costão lança tua brancura,
tua clara espuma

Posso até mesmo confundir
Com meu desejo de vida ao ver tua força
Tu és, sim tu és, indomável
Quem pode segurar as tuas águas
nos próprios punhos?

Podes dar a vida na praia
Um naufrágo jogar
Ou podes tirar a vida quando o mesmo
Não consegue te domar

Como um potro selvagem lutas com o domador
Mesmo com tua bravura
Um dia o Mestre te domou
Ondas agitar já não és mais a mesma
És forte bela, clara e viva
Mas ao contato com o Mestre
Tua furia cessou

Se porventura você se sente
Jogado pelas ondas agitadas
Deixe que o mestre seja a quilha
Da tua prancha e surfe em paz

Vídeo incorreto?