Senti
Um bom fluido envolvendo
Tão longe foi meu pensamento
E pedi licença pra buscar
Oh! senhores deuses africanos
E quando hoje ergue o pano
Os peruchianos vem mostrar

Majestade rei no comando da eternidade
É olorum no infinito é a claridade
De vermelho e preto liga o sagrado ao profano

Senhor exu, faça um favor
Nos abra os caminhos este ano

Ogum guerreiro destemido enfrenta o perigo
É o bem contra o mal
Lá nas matas tem oxossi o que cai
Muitas folhas pra você ossanhê
Não, não tem saída o canto é vida silêncio é morte

Senhor omulú de braços com obaluayê

Iemanjá senhora dos mares sagrados
Oxum das cachoeiras e do rio dourado
Sentado lá na pedreira, caô
Justiceiro pai xangô, lá está
Trovejou relampeou, o raio anunciou
Inhassã que vai chegar
Nos dê a paz, pai oxalá
Cobra coral é oxumaré
Não vem de orum de onde vem chama ayê

Abençã nanã
Salve os iberês
Em meu jacutá faça entrar nova manhã.

Vídeo incorreto?