Que miserável homem, que sou que me tornei
Mendigo o pão que ontem, sobrava e que era meu
No desapontamento, a esperança nasce
E vivo o presente, independentemente do que passou

Pois se tudo mudou, em cristo eu sou mais do que sou
Pra trás eu deixo o homem que fui, e as casas que eu construí longe de ti
Se tudo mudou, eu abro as velas da embarcação, na esperança que pela manha
Avistarei o porto onde te encontrarei o porto onde te encontrarei

Como um refugiado, deixando o seu país.
Fugindo pela noite, sem conseguir dormir
Confiando na promessa, que o prato toma a noite
Mais logo vem o dia, e gritos de alegria
Ecoaram

Se tudo mudou, em cristo eu sou mais do que sou
Pra trás eu deixo o homem que fui, e as casas que eu construí longe de ti
Se tudo mudou, eu abro as velas da embarcação, na esperança que pela manha
Avistarei o porto onde te encontrarei o porto onde te encontrarei
Se a chuva me alcança
E o barco revirar
Que eu acabe em terra firme lá

Pois se tudo mudou, em cristo sou mais do que sou.
Pra trás eu deixo o homem que fui, e as casas que eu construí longe de ti.
Se tudo mudou, eu abro as velas da embarcação, na esperança que pela manha
Avistarei o porto onde te encontrarei, o porto onde te encontrarei

Vídeo incorreto?