Agora chora, cordeona
Alma de vento sonora
Fala tua dor em lamentos
Que a noite já foi embora
Agora chora, cordeona
Que te abro em sentimento
Bota tuas mágoas pra fora
Em choramingos de vento

Tens no correr das hileras
Um riso branco e mais nada
Buscando um olhar perdido
Morena de trança atada
Tens pelas dobras do fole
Miles de dores guardadas
De um fim de baile de rancho
Com restos de madrugada

Se tu chorares, te abraço
Te toco à minha maneira
Por um raguido, te levo
Te aperto numa vaneira
Te busco junto do peito
Te quero um tanto e assim
Não sei se eu sou cordeona
Ou tu és parte de mim

Eu vou contigo nos braços
Me crucifico e não morro
Te abro o fole no espaço
Me perco e peço socorro
Me encontro, então, na tua voz
Morena de fala mansa
Então escuta um cantor
Que de amar não se cansa

Agora chora, cordeona
No colo de quem te abraça
Vai nos floreios da noite
Que logo a mágoa já passa
Quem foi embora não volta
Então espera clarear
Que eu vou contigo cordeona
Pr'adonde a vida levar

Vídeo incorreto?