Há um pássaro azul no meu peito que quer sair
Mas eu sou duro demais pra ele
Eu digo, fica aí, não vou deixar ninguém te ver

Há um pássaro azul no meu peito que quer sair
Mas eu meto uísque nele e dou um trago no meu cigarro
E as putas e os garçons e os balconistas dos mercados
Nunca percebem que ele está aqui dentro

Há um pássaro azul no meu peito que quer sair
Mas eu sou duro demais pra ele
Eu digo: Fica quieto, você quer zoar comigo?
Quer foder com meu trabalho?

Há um pássaro azul no meu peito que quer sair
Mas eu sou esperto demais,
Só o deixo sair à noite, às vezes
Enquanto todo mundo está dormindo
Eu digo: Eu sei que você está aí não fique chateado
Então o ponho de volta, mas ele canta um pouco
Aqui dentro, não o deixei realmente morrer
E dormimos juntos assim no nosso pacto secreto
E isso é o bastante pra fazer um homem chorar,
Mas eu não choro, você chora?

Aí velho caderno, olha só quem voltou
Sou só eu escrevendo pra ver se o tempo passou
Sao umas três da matina e eu ainda to aqui
Esvaziando minha mente pra ver se consigo dormir

Ultimamente tá foda, cê sabe, mais que o normal
Na minha mente o mundo roda, cê sabe, um temporal
Mas, mantenho a fachada, escrever é minha cura
Os rabiscos aqui me protejem da loucura

Me escondo nas palavras, entao tiro mascara
De sem sentimentos, aquela mentira clássica
Que, tu sabe como é, me protege de tudo
Sei lá, tu me conhece, nunca me dei bem com o mundo

Os fantasmas do passado que sempre me persegurem
Me sinto tipo adão, fora do jardin do éden
Mas engulo a seco a raiva, o odio e a dor tambem
E se alguem perguntar, digo: Firmao, tá tudo bem

Voce sabe o meu nome, mas não sabe quem eu sou
Me conhece só por fora, não carrega a minha dor
Dos meus olhos sabe a cor, mas desconhece o que eu vi
Não sabe por onde andei pra chegar até aqui

No fim a vida é dura, é assim e não tem jeito
Cada um conhece bem a dor que carrega no peito
Se nasci um bom sujeito, nao lembro, nao sei
Pra paz não levo jeito, muita treta já causei

Só que isso cansa, só que isso esgota
Nesse mundo imundo cê tem quer olhos nas costas
Seguir o teu caminho, mesmo pisando em espinhos
Entender que é assim: Tu nasce e morre sozinho

Quem dizia ser amigo arregou na hora da luta
Quem jurava amor eterno, era só mais uma puta
Quem falava estar comigo em qualquer dificuldade
Desapareceu na primeira oportunidade

E ainda me perguntam porque eu sou assim
E ainda me perguntam porque só confio em mim
Mas engulo a seco a raiva, o odio e a dor tambem
E se alguem perguntar: Figo: firmao, tá tudo bem

Voce sabe o meu nome, mas não sabe quem eu sou
Me conhece só por fora, não carrega a minha dor
Dos meus olhos sabe a cor, mas desconhece o que eu vi
Não sabe por onde andei pra chegar até aqui

Calma na alma? Pera, não é bem assim
Minha alma tem tempestade, e isso nunca tem fim
Fazer tudo sozinho ja virou ate um vicio
Narcisismo. O pior é que eu gosto disso

Eles sao agua e eu sou oleo, to num mundo paralelo
Pessoas vem, pessoas vao, e eu aqui, só observo
Acompanho com os olhos esse ritmo constante
Mentes vazias querendo ser interessantes

Mudei o padrao, blindei meu coração
Entre falso ou verdadeiro escolhi a solidão
Prefiro os meus fones, o ferro nunca é ingrato
Onde babaca é estrela eu prefiro o anonimato

O dia amanhece, com a mascara encaro o mundo
E isso me afasta de gente sem conteudo
Entao engulo raiva, o odio e a dor tambem
E se alguem me perguntar? Digo firmao, tá tudo bem

Voce sabe o meu nome, mas não sabe quem eu sou
Me conhece só por fora, não carrega a minha dor
Dos meus olhos sabe a cor, mas desconhece o que eu vi
Não sabe por onde andei pra chegar até aqui

Vídeo incorreto?