Com essa viola no peito garanto meu dia-a-dia
Ela inspira meus versos junto vem a melodia
Quando chego no pagode tomo conta da folia
Quem não tem jeito pra coisa é de longe que ele espia

Tenho dó do concorrente da maneira que ele cria
Fazendo versinhos fracos pra ouvir da alergia
Eu respeito os meus fãs que são minha garantia
Eu só gravo nos meus discos modas que tem serventia

Tem que dar um breck em coisa que de ruim não tem quantia
Modas que tem duas linhas e um refrão que dá agunia
A agulha enrosca no disco e não explica o que queria
No final é mais cumprido do que a estrada Rio-Bahia

Tem muitos querendo o trono de quem deixou a cantoria
Oh meu Deus aqui na terra ta um clima de guerra fria
nem daqui um milhão de anos aparece outra magia
Meu mito descansa em paz a cadeira está vazia

Vídeo incorreto?