Todo o meu ser despojado, vou te dar a conhecer
Sei que não estás interessado, mas nada tenho a perder
Já não há nada a fazer...já está tudo errado
Não se constrói uma casa a começar pelo telhado
Eu nunca aprendo a lição, não resisto à tentação
Depois procuro em vão paixão onde só mora tesão
Finjo ser forte, é só fachada / Tu naquela madrugada
De domingo, na Ramada, deixaste a moça apanhada
E nada magoa mais que indiferença, tensa na tua presença
Marta pensa, analisa do ponto à reticência
Que lhe passa pela tola? Ainda rola ou deu à sola?
É o tal ou é esmola? Passo a bola...
Sou mulher e como tal não separo o carnal do emocional
Só o homem o faz de forma tão natural...
O amante apaixonante num instante ficou distante e frio
Fechou a porta, deixou angústia e vazio....

Tu olhas e desejas...eu quero que me vejas...
Não como essas bandejas que por aí cortejas
Quero beijar como tu beijas...
Amar cada defeito, perfeito eu não espero que tu sejas
A Bela que tu almejas amar tarda tanto em chegar
Porque te fechas, não a deixas entrar
Garanhão, para seres pavão só te faltam as penas
Damas arrastam camião por ti, sou mais uma apenas
Ou não, já me deixei de ilusão, eu não sou mulher para ti
Tinha de ser mais avião e ter menos Q.I.
Eu não nasci para ser pilar de ninguém
Cada um tem em si o que precisa para ficar bem
Sou mulher independente, dona do meu nariz
Fiel, confidente, zero talento para actriz
Como amante dei tareia, dei-me inteira
Como amiga e companheira varro mais a feira
Fica só para ver...

Vídeo incorreto?