Onde jogaram as crianças?


Conta o avô que
De menino ele brincou
Entre árvores e risos
E alcatraces de cor
Recorda um rio
Transparente sem cheiro,
Onde abundavam peixes,
Não sofriam nenhuma dor

Conta meu avô
De um céu muito azul,
Onde empinou pipas
Que ele mesmo construiu
O tempo passou e
Nosso velho já morreu
E hoje me perguntei
Após tanta destruição

Onde diabos brincarão
As pobres crianças?
Ai ai ai!
Onde brincarão?
Estão queimando o mundo
Já não há lugar

A terra está a ponto
De se partir em duas
O céu já se rompeu,
Já se rompeu o pranto cinza
A mar vomita rios de azeite sem cessar
E hoje me perguntei
Após tanta destruição

Onde diabos brincarão as pobres
Crianças?
Ai ai ai.
Onde brincarão?
Estão queimando o mundo
Já não há lugar

Onde diabos brincarão as pobres crianças?
Ai ai ai.
Onde brincarão?
Estão queimando o mundo
Já não há lugar

Não há lugar neste mundo