Ciúmes


Quem põe portas ao campo?
Quem escreve sobre o céu?
Quem é o que se enamora
e não padece os ciúmes?

Ciúmes, tenho ciúmes
de tudo aquilo
que olham teus olhos
e a mim não me olham.
Ciúmes, tenho ciúmes
de não encontrar-me
beijando teus lábios
quando eles suspiram.

Ciúmes de não sentir
que tua mão de seda
se enreda em meu pêlo.
De não ter-te
de noite a minha beira
quando me desvelo.
De não sentir
que tua pele e minha pele
se trespassam seu fogo.
Ciúmes de não poder
apagar com teus beijos
a sede de tua boca.
De não poderte
ter em meus braços
de amor meio louca
quando de noite
teu amor é cavalo
que se me desboca.

Ciúmes de não sentir
que tua mão de seda
se enreda em meu pêlo.
De não ter-te
de noite a minha beira
quando me desvelo.
De não sentir
que tua pele e minha pele
se trespassam seu fogo.