Cigano, cigano


Você é o mesmo que o vento,
que nasce na liberdade.
Para tí não existe cimo
que não se possa alcançar.
Você tem orgulho de raça,
que é um legítimo orgulho.
E um destino que te aguarda,
cigano, que é todo teu,
cigano, que é todo teu.

Cigano, cigano, cigano, cigano.
De encorajo de trigo
e sonhos de luna.
Cigano, cigano
que procuras caminhos
de boa ventura.
Cigano, cigano,
que alvos distante
a senda perdida,
aqui está tendida
minha mão de irmão.
Tiéndeme a tua,
cigano, cigano.

Você tem, igual que as aves
o ânsia para voar.
Mas você voa mais alto
se você põe a dançar.
Deixa que o mundo se assombre,
solta o milagre da arte.
Para que quer as asas
se te remonta teu sangue,
se te remonta teu sangue?