Que tu que eu


Ninguém deve de saber
se tu me quer.
Ninguém deve de saber
que eu te quero.
Deve de seguir oculto
que durante a noite,
com a lua por testemunha,
tu e eu nos vemos.
Hemos de ter cuidado
com essa gente
que às vezes não dorme
para sabê-lo tudo.
E com as correntes
que agora nos separam
um escándolo dariam
sobre nós.

Que tu e eu,
só tu, só eu,
guardamos a verdade
de nossa intimidade.
Que tu e eu,
só tu, só eu
tenganos que esconder-nos,
que pena me dá.
Que tu e eu,
só tu, só eu
tenganos que esconder-nos,
que pena me dá.
Ninguém deve de sabê-lo,
ninguém deve de sabê-lo,
o romance que vivemos
deve de ser um segredo.
Ninguém deve de sabê-lo,
ninguém deve de sabê-lo,
porque então mudaria
nossa dita em um momento.

Enquanto haja luz do dia
penso na noite,
quando posso acariciarte
e sentir teus beijos.
Mas já me doói a alma
por esconder-me
para compartilhar contigo
o mesmo leito.
Eu você não sei se tenho sorte
de ser tu amante.
Só sei que como ninguém
me você compreendeu.
Louco tenho o pensamento
de recordarte
porque um amor como o teu
nunca tinha vivido.