14 de fevereiro, o dia do Valentim
Era um velho vigilante que marcou seu próprio fim
Era dia 2 de junho, de repente foi assim
Encontrou uma velhinha, foi ela que disse assim:
"Se Deus quiser, me ajude, por tomar conta de mim!"

Ali dentro da casinha morava um traficante
O melhor desses boiolas, chamado João Galante
Era um traficante zuado, carinhoso e mais gigante
A velhinha e o traficante chamaram o vigilante
Para ele se fuder, e aparecer distante!

Quando ele se fudeu, ele foi para a conduta
O traficante então chamou pra ele ir pra luta
Eles viram dois boiolas lutando pelas condutas
O vigilante então, chamou de filho da puta
O boiola, empresário, bateu nele para a luta

Chegaram quatro bandidos para o meio do caminho
Eles eram assassinos, vigilante tão sozinho
Assassinaram nele assim, mas eles deram carinho
Um faleceu dentro deles e o outro só sozinho
Eles disseram: "Bandido, por favor, não sou santinho!"

Acontece que lá dentro, apareceu um carente
Um emergente caralho que ele ficou doente
Ele disse: "Por favor, traga remédio urgente!"
O vigilante então, deu para ele ausente
Tomou o remédio e ele diz: "Toma conta da gente!"

O dia então surgiu, como um velho gigante
Diabo filho da puta, pra apagar o vigilante
Ele foi para o inferno, e eles foram distantes
Esse dia foi uma bosta, mas não surgiu bem diante
Todos foram pro inferno junto com o traficante!!!