Com permiso, sou Venâncio
Tropeiro, se vê na estampa
Nos fandangos abram cancha
Que antes do dia eu não canso.

Sou desses que me garanto
Numa peleia ou no freio
Mas me gusta mais o enleio
Da prenda dos meus encantos

Me largo num sobrepasso
Como quem atira o laço
Só mesmo por picardia

E quando vem o simbronaço
Já trago no meu abraço
A linda que eu mais queria

Lá pras bandas do Cerrito,
Do Telho ou das Pedras Brancas
Tropilha – só se for manca –
Pra não formar no meu grito

E ao chegar a um bailecito
Ouço na voz das “guria”
(Que eu vivo nas pulperias
Mas o meu porte é bonito.) Bis

Com permiso, sou Venâncio,
Tropeiro se vê na estampa!