Quem quiser pegar na minha viola
Pode crer que vai se dar mal
Minha viola é de madeira-de-lei
Não é qualquer qualidade de pau
Quanto mais apanha sereno
O som da viola melhora
Quando eu entro no partido
Eu vou até o romper da aurora
É maçaranduba, moço
Maçaranduba ia, iá
Madeira dura que não quebra
E nem dá pra rachar

Já cantei muito samba
Eu já fui batuqueiro
E na roda de samba
Fui diretor de terreiro

Fui chamado pra cantar
Com o Pedro da Malaquia
Cantei sexta, sábado
Domingo até meio-dia

Tem areia, o, tem areia
Tem areia, o, tem areia
Tem areia no fundo do mar, tem areia
Tem areia no fundo do mar, tem areia

Poeira, poeira
O samba vai levantar poeira
Poeira, poeira
O samba vai levantar poeira

Poeira, poeira, poeira
Levantei sacudindo, poeira
Poeira, poeira, poeira
Levantei sacudindo poeira

Eu fui uma madrugada
Lá na casa do Gemeu
Todo mundo na jogada
Por fora só tava eu

Cadê Miquilina
Cadê Miquilina
Cadê Miquilina, Nenete e Dirce
Cadê Miquilina

Miquilina, moça bela
Miquilina, moça fina
Desfilava na Portela
E também no Tupi de Brás de Pina

Quero ver quebrar
Quero ver quebrar
Quero ver quebrar

Eu quero ver
Todo mundo sambando
Eu quero ver
Todo mundo sambar

Vídeo incorreto?