Forasteiro eu sei que sou
Andando sozinho no bairro com uma péssima expressão
Além do mais que Raça Negra
Só nos olhares pressinto que não gostam não
Vida de tormento e aborrecimento
Familia longe magoado acelerou coração
Para amenizar o tal constrangimento
Eu vou de química profundo nessa solidão
Sol se foi e não mudou nada
Urgentemente preciso achar minha localização
Plantando a química não sabia de nada
Mas não sou daqui qual será minha região
Olha só quem está vindo bem na minha frente
Duas bela garota boa com ar sorridente
Acompanhado de minha mãe querida
Meu mano é a Dona Vilma
Olá garoto como és que esta?
Mas tu ta magrelo “xo” ver seus olhos amarelo
Tu não sabe então me diga, eu não estou em alta
Estou passando fome, ta dificil, mais que sério
Não me respondeu mais nada e me deu as costas
Será que tinha faltado resposta?
Foi ai que o carro deu a batida
Nove horas da noite sozinho estou em neblina
Sozinho pela cidade que infelicidade
O carro voltou e ela veio então te menosprezo
Me mataste de vergonha porque você já esteve preso
Vamos lá, eu lhe dou uma carona obrigado eu não aceito
Já que não quer se cuida, vou embora e me gritou mesmo

Forasteiro, forasteiro, forasteiro...

Vídeo incorreto?