Desde a antiguidade nunca se ouviu
E nem se percebeu, nem se viu um Deus além de Ti
Um Deus que trabalha para aquele que espera nele
E põe confiança em suas mãos
Te invocamos agora, Senhor
Não escondas de nós teu rosto

Somos o barro, tu és o oleiro
Tu és o nosso Pai
Somos obra feita por tuas mãos

Passa o tempo e a vida passa, encontramos nossa essência
Tudo se passou, e era vaidade, nós murchamos como folha
E as iniquidades como ventos, nos levam pra longe
Te invocamos agora, Senhor
Não escondas de nós teu rosto

Somos o barro, tu és o oleiro
Tu és o nosso Pai
Somos obra feita por tuas mãos

Tu és o Deus, que fez o céu
És o Deus que faz os montes ecoarem diante de Ti
Teu nome é notado entre as nações
Elas tremem ao entrar em tua presença

Somos o barro, tu és o oleiro
Tu és o nosso Pai

Nós somos o barro, tu és o oleiro
Tu és o nosso Pai, nosso Pai
Somos obra feita por tuas mãos
Somos obra feita por tuas mãos

Somos o barro, tu és o oleiro
Somos o barro, tu és o oleiro

Vídeo incorreto?