O destino desenhou
Um traço de odu
Adivinhação, dança circular
Voz oracular
Onda vai e vem, futuro também

Se o presente já morreu
Um segundo atrás
Quem matou fui eu
Chão, pegada, rastro de quem já passou
Um enredo a mais em dezesseis finais

Palavra de ifa, ikin e opelê
Ou merindilogun
No pó de irosun
Palavra de ifá
Jogada no opon
Direto do orun

O destino desvendou quantos eu serei
Do mais pobre ao rei
Com o olho avante, que enxerga atrás
E que compreende todos os sinais

Se o presente renasceu
Um segundo à frente
Quem gerou fui eu
E o tempo reluta como um embrião
Perseguindo a vida, solto na amplidão

Palavra de ifa, ikin e opelê
Ou merindilogun
No pó de irosun
Palavra de ifá
Jogada no opon
Direto do orun

O destino desvendou quantos eu serei
Do mais pobre ao rei
Com o olho avante, que enxerga atrás
E que compreende todos os sinais

Se o presente já morreu
Um segundo atrás
Quem matou fui eu
Chão, pegada, rastro de quem já passou
Um enredo a mais em dezesseis finais

Palavra de ifa, ikin e opelê
Ou merindilogun
No pó de irosun
Palavra de ifá
Jogada no opon
Direto do orun

Vídeo incorreto?