Rio e mar, da estrada ele vê
Lua após sol e ele ainda de pé
Cinco noites a fio e não vai dormir - Zanon
Fera ao rodar, de Intrudão e HD
Faca na bota, se acaso o pau comer
Estaremos juntos, irmão, até o fim

O que deixou de fazer ou o que ele sempre fez
nunca coube a ninguém julgar
Nem a liberdade que era sua amada
um dia ousou lhe cobrar
Porque a vida é assim pra quem é a fim
de esquecer o amanhã e ser livre

O que o destino não traça é escrito por poucos
Vento e poeira na cara é a sina dos loucos
"Meu Capricórnio!", dizia o velho Zappa aí

Sala de estar, conhaque e mulher
E na cabeça um aditivo qualquer
Nossas máquinas brilham lá fora
Tempo bom que não volta jamais
Mas sempre vivo nas lembranças que traz
Trem pestilento rasgando o luar

Atenção, srs. passageiros, o bicho vai pegar
E hoje ninguém vai pra casa, não não
Porque a vida é assim pra quem é a fim
de esquecer o amanhã e ser livre

O que o destino não traça é escrito por poucos
A vida acelerada conhece o seu rosto

De bar em bar, sinuca e mulher
Precisamos de um lugar pra ir
depois que amanhecer
Pra garagem do Vinni, vamos aí

O que o destino não traça é escrito por poucos
Vento e poeira na cara é a sina dos loucos
O que endurece a carcaça é coisa pra poucos
A vida acelerada conhece o seu rosto
"Meu Capricórnio!", dizia o velho Zappa aí

Vídeo incorreto?