O fim do mundo é incógnito
Como código dos círculos na plantação
Como alinhamento de vénus com o sol
Que deixará a terra envolta em escuridão
Sou como um poço de informação
Enquanto satélites dotados espiam a população
Impávidos assistem a manipulação
Globalização da fome e da destruição
Temos tanques, aviões, submarinos e mísseis de alto avanço tecnológico
Mas o que o homem não tem definitivamente é uma cura pra si próprio
Ou para o impacto de cometas e meteoritos sobre a superfície terrestre
Desprevenidos quase fomos atingidos, 0% foi quanto tu soubeste
É mundial a conspiração e a censura da imprensa sempre esteve no barulho
Na televisão dão-nos restos, alimentando os cérebros do povo com entulho
Dizem que a economia é a força motriz que faz este mundo girar
Mas essa mesma é que polui rios de vasta floresta, se nos impede no fundo de respirar

(refrão)
Impávidos assistem a manipulação
Globalização da fome e da destruição
(destruição (6x))

No terceiro mundo exploram-se crianças ao segundo
Multinacionais engordam o seu fundo
Políticos vivem no luxo supremo
São mãos que lavam dinheiro sujo do governo
Escravidão, submissão era suposto terem sido abolidas à séculos
Mas infelizmente sobreviveram o suficiente para conhecer filhos e netos
A resposta não se encontra nos livros
Mas sim na harmonia entre todos os seres vivos
A natureza dá sobre os mal agradecidos
E da mesma moeda somos retribuídos
Dizimados, inundados, refugiados
Clandestinos e desalojados
Tu não entendes, tas em casa sentado
A ver filmes ou desenhos animados
Deste lado a vida é bem mais pacata
Não há gás, mostarda a pairar sobre a praça
Ou disposição à radiação nuclear facial de formação a um nível que nos ultrapassa
Eu respiro alegria, mas no real dos meus olhos visionam a desgraça
Enquanto a pirâmide desta sociedade for orquestrada pelos senhores maestros da farsa.

(refrão)
Impávidos assistem a manipulação
Globalização da fome e da destruição
(destruição (6x))

Vídeo incorreto?