Sâo quase dois mil anos de silencio e solidâo
Na pia do batismo ainda corre o rio jordâo
Joâo já foi poeta o grande amor de salomé
Agora é feriado de fogueira e buscapé

Refrâo;
Corre joâo,apanha seu violâo
Enfrenta essa multidâo
Nâo deixa ninguém morrer pagâo
Deus do céu, o mundo é um
Carrossel,é inutil voçe parar
Se a vida nâo para de rodar

No meio da poeira desses séculos em vâo
Ficou pelos caminhos a figura de joâo
E a sua vóz ressoa nas imensas catedrais
Seu povo ainda espera;as profecias imortais

Me diga qual o rio ;onde anda agora o pescador
Que um dia por voçe;foi batizado de ''senhor''
Que eu tenho mil pecados que nao sao originais

Refrâo;
Corre joâo,apanha seu violâo
Enfrenta essa multidâo
Nâo deixa ninguém morrer pagâo
Deus do céu, o mundo é um
Carrossel,é inutil voçe parar
Se a vida nâo para de rodar

Joâo um certo dia ;foi jogado na prisâo
Perdeu-se a liberdade;mas o pensamento nâo
Retorna meu amigo;vem mostrar aos farizeus
Na ponta do chicote a mâo pesada do seu deus

Vídeo incorreto?