Volto para casa
Depois de uma cara pra te ver
Os anos se passaram
Mudaram a são paulo que deixei

Descendo a rua augusta
Achei o bar das putas tão blazé
Procurei o riviera
Onde numa primavera, te beijei

E as flores do arouche
Secaram na ausência de nós dois
Se é saudade ou a idade, não reconheço a cidade
Não vejo mais nada de você

Onde era o belas artes
Hoje é espaço para os gritos de um pastor
E aquele nosso parque
Hoje um novo condomínio, é o que restou

Na velha galeria
Já não tinha a doceria do amor
Lembro de você bem louca
Pondo doce na minha boca no metrô

Na luz da madrugada
Não encontro a garota que eu amei
Vejo tanta gente, mas estou indiferente
Não vejo mais nada de você

Estou cansado de te procurar
Não encontro nada em nenhum lugar
Talvez as coisas sejam mesmo assim
Estou tão perto, tão longe de mim

Estou cansado de te procurar
Estou tão perto, tão longe de mim

Volto para casa
Depois de uma cara pra te ver
Os anos se passaram
Mudaram a são paulo que deixei

Na luz da madrugada,
Não encontro a garota que eu amei
Vejo tanta gente, mas estou indiferente
Não vejo mais nada de você

Vejo tanta gente, mas estou indiferente
Não vejo mais nada de você

Estou cansado de te procurar
Não encontro nada em nenhum lugar
Talvez as coisas sejam mesmo assim
Estou tão perto, tão longe de mim

Estou cansado de te procurar
Estou tão perto, tão longe de mim

Estou cansado de te procurar
Não encontro nada em nenhum lugar
Talvez as coisas sejam mesmo assim
Estou tão perto, tão longe de mim

Vídeo incorreto?