Domei de freio aquele potro estrela
Com uma cernelha para um par de arreios
Criado guacho ao redor das casas
Só falta as asas quando vê um rodeio

Arrocinado no trabalho bruto
Sabe meu jeito de atirar o laço
Doce de boca parte o boi no meio
E atira o freio quando vai ao passo

Picaço negro não precisa espora
Se vou embora pro meu rancho pobre
Na linha alta um cardal de estampa
Filho da casta dum oveiro nobre

Esse crioulo é pro andar da china
Uma trigueira que me ceva o mate
De olhos claros duas lamparinas
Pelas campinas quando a noite bate

Se dom Emílio fosse vivo um dia
Me entregaria de rédea e buçal
Pra ser o trono madre geraltivo
Palanque vivo do sangue cardal

Vídeo incorreto?