Fragmento


Tive um sonho
Nos arredores da cidade escura, escura
Ninguém, nenhuma outra forma, nem mesmo uma luz

O vento morno e úmido me mostrou a solidão
Mesmo gritando o seu nome, desapareço no espaço
Procurando o final da noite que nunca vai parar de se propagar
Naquele momento, comecei a andar e o sonho acabou

O tempo é a única coisa que continuará a fluir inalterada
Este corpo vazio é perfurado

A lacuna onde você não está é aterrorizante, eu a preenchi com uma réplica
Mesmo gritando o seu nome, desapareço no espaço
Mas mesmo estando tão perto de acontecer, o coração está distante
Algum dia até ele desaparecerá da memória e tudo voltará a nada

O que foi perdido naquele dia não mudará
Eu ainda não consigo rir
A noite é muito longa, e o final foi trazido
Pela voz rouca das cigarras

A lacuna onde você não está é aterrorizante, eu a preenchi com uma réplica
Mesmo gritando o seu nome, desapareço no espaço
Mas mesmo estando tão perto de acontecer, o coração está distante
Algum dia até ele desaparecerá da memória e tudo voltará a nada
Em fragmentos

O que foi perdido naquele dia não mudará
Eu ainda não consigo rir
Eu continuo a dormir no abismo escuro
As lágrimas da cigarra

O fim de outra primavera onde as flores de cerejeira são incapazes de florescer
Eu me pergunto quantas vezes isso aconteceu
Os dias que nunca vão mudar, eu só quero dizer
À voz rouca das cigarras