Na varanda onde o ar anda depressa
Vai embora na conversa
Na pressa de ficar
Na varanda onde a flor se arremessa
Onde o vento prega peça
Nos traz festa pelo ar
Na varanda a criança se debruça
Mãe menina ainda fuça
Nos cabelos a ninar
Na varanda onde a lua se levanta
Nossa rede se balança
Serenata pra acordar
Joga trança, busca o chão e não o céu
Qual barquinhos de papel
Sonha ir de encontro ao mar
Joga trança, busca o chão e não o céu
Qual barquinhos de papel
Sonha ir de encontro ao mar

E a noite vem, sendo o descanso do sol
E a ponte vem, sendo a distância de quem tá só
Um sol, com a cabeça na lua
A lua, que gira, que gira, que gira
E a noite vem, sendo o descanso do sol
E a ponte vem, sendo a distância de quem tá só
Um sol, com a cabeça na lua
A lua, que gira, que gira, que girassol

Na varanda onde o ar anda depressa
Vai embora na conversa
Nossa pressa de ficar
Na varanda onde a flor se arremessa
Onde o vento prega peça
Nos traz festa pelo ar
Na varanda a criança se debruça
Mãe menina ainda fuça
Nos cabelos a ninar
Na varanda onde a lua se levanta
Nossa rede se balança
Serenata pra acordar
Joga trança, busca o chão e não o céu
Qual barquinhos de papel
Sonha ir de encontro ao mar
Joga trança, busca o chão e não o céu
Qual barquinhos de papel
Sonha ir de encontro ao mar

E a noite vem, sendo o descanso do sol
E a ponte vem, sendo a distância de quem tá só
Um sol, com a cabeça na lua
A lua, que gira, que gira, que gira
E a noite vem, sendo o descanso do sol
E a ponte vem, sendo a distância de quem tá só
Um sol, com a cabeça na lua
A lua, que gira, que gira, que girassol

Vídeo incorreto?