Quando eu escuto uma cordeona se clamando
Acompanhada pelo choro de um violão
Eu me recordo de Caxias do Sul
Sinto saudade dos fandangos de galpão.
Pra não chorar eu abro meu peito e canto
E vou floreando no teclado da sanfona
Estou cantando pra ti Caxias do Sul
Pra gauchada e toda colônia italiana.

Dancei fandango no Tropeiro do Rio Grande
No Minuano e no Rincão da Lealdade
Dancei também no negrinho do pastoreio
No paixão cortes eu dancei barbaridade.
Vai estes versos em homenagem aos patrões
A peonada e aquelas prenda bacana
Estou cantando pra ti Caxias do Sul
Pra gauchada e toda colônia italiana.

Tu és Caxias a perola da colônia
Tua beleza aumenta cada vez mais
O teu progresso é a força das industrias
Com ajuda dos produtos coloniais.
Por ser o palco da grande festa da uva
O mundo inteiro já conhece tua fama
Estou cantando pra ti Caxias do Sul
Pra gauchada e toda colônia italiana.

Caxias tem as mais belas gauchinhas
A sua beleza qualquer moço de curva
Caxias faz o melhor vinho do mundo
É uma beleza os seus parreirais de uva.
Fiz estes versos em homenagem aos caxienses
E aos colonos de toda a região serana
Estou cantando pra ti Caxias do Sul
Pra gauchada e toda colônia italiana.

Vídeo incorreto?