Sou viajante solitário, que carrega seu rosário no painel do caminhão
Sou um honesto brasileiro, o melhor caminhoneiro que cruza este sertão...

Eu nasci pra se viajante, eu sou cobra do volante
Com muitas léguas de chão...
Meu trucadão barra pesada, dinossauro rei da estrada
Nunca perde a direção...

Sou qual buzina de um comboio, que madruga todo dia...
Minha vida é viajar, sou o amor que alguém espera
Sou o portador da alegria... quando é hora de chegar?

Sou o artista da estrada, representa quase nada... distância do caminhão...
Sou estradeiro de verdade, passo e deixo uma saudade... sempre chora um coração...
Eu piso fundo, sigo avante, solto as rédeas do possante
É lá na imaginação, coração de saudade carregado
Muito, muito mais pesado
do que a carga do trucão...

Vídeo incorreto?